HORA DE MUDAR

Queridos amigos leitores e leitoras. Após 3 anos e dezenas de filmes resenhados resolvi que é hora de mudar. Estarei migrando para o Blogspot que permite dar um ar mais profissional ao Blog. Também resolvi que junto com a migração, mudarei o nome do Blog. Minha intenção quando criei o "Crítico Sou Eu" era dar espaço para todos que amam a Sétima Arte poderem divulgarem suas opiniões e visões. O nome "O Crítico Sou Eu", tinha como intenção dizer que os críticos são vocês, eu pretendia e esperava uma interatividade maior, mas como isso não aconteceu, acho que este nome ficou fora do contexto porque somente eu assino as postagens, logo, resolvi mudar. Afinal, não sou crítico de nada. Sou apenas um apaixonado por Cinema assim como vocês. Foi bom enquanto durou, mas nada acabou, pelo contrário. O novo Blog vem com tudo e já está disponível com minha programação da 32° Mostra. Além disso, poderei dividir os assuntos, uma vez que o Blog deu uma variada e aumentou o leque de seções dando espaço a música, teatro, exposições, gastronomia e afins. Agradeço desde já a todos que vêm acompanhando o Crítico e espero que vocês curtam o novo Blog. Aos poucos irei transferindo o conteúdo do Crítico para lá. Bem, acho que é isso meus amigos(as). Nos encontramos na sala escura e no meu novo Blog. Obrigado por ler. Beijos, beijos, beijos. E viva o CINEMA!!!

Roger T.

NOVO BLOG - www.cinem-adicto.blogspot.com (use sem moderação)

32° MOSTRA INTERNACIONAL DE CINEMA DE SÃO PAULO

Foi dada a largada cinéfilos de Sampa City. As duas semanas mais aguardas por todos nós começa hoje. Será uma verdadeira maratona de noites mal dormidas e refeições esporádicas. Todo sacrifício é válido para mergulhar fundo neste universo de fantasia que os próximos dias nos proporcionarão. Já garantiu seu passaporte da alegria? Então corra e deleite-se!!!

Ontem fui buscar na Central da Mostra meus primeiros ingressos e não vejo a hora de começar a maratona. Viva a Mostra!!! Te vejo na sala escura. Minha programação para os próximos dias é:

Dia 18/10 - Sábado

- Bolo de Bota

- O Canto dos Pássaros

- Off all the Things

Dia 19/10  - Domingo

- Estranhos

- Tony Manero

- Alexandra

Dia 20/10 - Segunda-Feira

- Sonata de Tóquio

- A Fronteira da Alvorada

Vamos ver o que me aguarda.

Roger T.

LINHA DE PASSE

BRASIL, 2008

DIREÇÃO: WALTER SALLES E DANIELA THOMAS

Taí mais um belo trabalho desta dupla muito talentosa de diretores. Com certeza, "Linha de Passe" estará nas listas dos melhores filmes nacionais de 2008.

Sandra Corveloni, vencedora do prêmio de melhor atriz em Cannes interpreta Cleuza, doméstica e mãe viúva de 4 rebentos. Três jovens e uma criança muito bem interpretada pela revelação mirim Kaique Jesus. Temos ainda Vinicius de Oliveira, o Josué de "Central do Brasil", bem grandinho no papel de Dario, personagem que pretende ser jogador de futebol mas não consegue passar nas peneiras por já ter 18 anos, idade considerada avançada para a entrada de um atleta nos clubes. Temos ainda, Dinho, o frentista evangélico e Dênis, o motoboy sem personalidade. Reginaldo, o pequeno interpretado por Kaique, é o único dos irmãos que possue um pai diferente, fruto de uma relação que Cleuza não guarda boas lembranças, logo, Reginaldo não faz idéia de quem seja ou quem foi seu progenitor e vive questionando a mãe sobre o mesmo. Cleuza por sua vez, trabalha de doméstica e cria os filhos sozinha. Está longe de ser a mãe perfeita, mas traz em seu rosto sofrido, as amarguras enfrentadas no decorrer de sua vida.

Walter e Daniela conseguiram captar como ninguém através de sua lente a essência da "paulicéia desvairada". Um outro lado que parece sempre caminhar à margem da realidade, uma realidade que não interessa para a classe média alta paulistana. Ou me diga: O que você sabe da pessoa que vai toda semana limpar sua casa além de seu nome? É verdade, preferimos não nos envolver muito. Walter e Daniela nos proporcionam um retrato fidedigno desta faceta ignorada por nós que temos a oportunidade de destinarmos um pouco de nossa renda para diversão. Isto fica bem claro quando o filho da patroa de Cleuza convida Dario para jogar pelo seu time do condomínio em que vive. As diferenças extremas e os objetivos totalmente opostos são muito bem apresentados ao público.

Trata-se do perfil de 5 vidas que fazem parte do nosso cotidiano mas que sempre caminham à margem do desprezo. Quando Dario recebe mais uma recusa em uma das tantas peneiras que participou e vê-se desolado no centro da cidade observando vagas de empregos. Estaria decretado o fim de seu sonho? E Dinho, o personagem que virou evangélico e tenta ser um bom rapaz, mas que vê todo seu sacrifício e devoção questionados quando é tratado como marginal. Dênis, o motoboy, rapaz inconsequente que tenta fazer tudo da melhor maneira para agradar as pessoas que o circundam, mas talvez por falta de orientação sempre escolhe o caminho errado. E o pequeno Reginaldo que fantasia no motorista do ônibus de todo dia o que poderia ser o seu pai. E no centro de todas essas vidas sofridas e maltratadas está Cleuza, a mais amargurada de todas. Uma mulher forte, decidida e muito correta. Tão correta que chega a cometer injustiças com os próprios filhos com medo de que enveredem por um caminho errôneo.

Lembra quando você era mais jovem e voltava para casa da balada já com o dia amanhecendo? No caminho de volta você avistava várias pessoas indo trabalhar enquanto você estava indo dormir, depois de gastar em uma noite o que eles levam uma semana para ganhar? Pois bem, "Linha de Passe" nos apresenta a realidade destas pessoas. A realidade da pessoa que está ao mesmo tempo tão longe e tão perto de você. Cleuzas e Almerindas existem aos milhares e tudo que elas querem é deixar um bom legado para suas crias e evitar que elas optem pelo caminho errado. Na vida que levam, um fio tênue separa esta escolha. Não existe muita opção para eles. Vai depender do caráter de quem os criou.

Jovens em busca de seus sonhos, de uma vida digna, mas que por crueldade da realidade em que vivem, perguntam-se a todo momento se vale à pena ser bonzinho neste Brasil sem escrúpulos.

E após tanta injustiça, realidade e sofrimento, o fim escapista não poderia ter sido melhor. Deixar o menino Reginaldo dirigir um ônibus pelas ruas de São Paulo foi uma idéia brilhante para tentar neutralizar a dureza do dia-a-dia e ficarmos com aquele tiquinho de esperanças de que nem tudo está perdido.

Direção imponente, atores no ápice da interpretação e um roteiro muito bem costurado, fazem de "Linha de Passe" uma das melhores surpresas dos lançamentos nacionais de 2008. Ótimo!

Roger T.

    

SHORTBUS

 EUA, 2006

 DIREÇÃO: JOHN CAMERON MITCHELL

 Podemos descrever este filme como um " SURUBÃO CULTURAL" contra a depressão de seus personagens. Em Nova Iorque, (onde mais poderia) pessoas se reúnem em um inferninho chamado "Shortbus" para se liberarem de todos seus pudores através de saraus com poesia, cinema, música e muito sexo. Imagina o elenco de "Hair" trepando como naquela famosa cena do polêmico "CALÍIIIIGULA". Esta frase resume boa parte do filme. O resto é enrolação pra mostrar a libertinagem do diretor. É mulher com mulher, mulher com homem, homem com homem, mulher com travesti, masturbações bizarras, vixi, um verdadeiro circo da putaria hahaha, um por todos e todos por um!!!

 Sexo no cinema nunca foi novidade. Nú frontal masculino tampouco. Posso citar aqui vários filmes, mas lembro de um em especial, aliás, o filme que deu origem à este blog. "9 Songs". Este filme conta a história de amor entre um casal. Até aí nada mais comum. A única diferença é que o sexo filmado é praticamente explícito, praticamente não, é explícito. O filme é o casal transando e o casal em shows de bandas como "Primal Screen" e "Franz Ferdinand", daí o nome "9 Canções". Mas o jeito como é filmado com o acréscimo da música, torna-se algo delicado e até poético. Tem ainda a famosa cena da manteiga com Marlon Brando em "O Último Tango em Paris". Enfim, só escrevo tudo isso, para dizer que nada mais choca. Se o sexo fosse necessário para a trama, se a exposição de falos gozando à rodo fosse essencial para o desenvolvimento do roteiro, maravilha, sem problemas. Mas aqui o diretor faz o contrário. Utiliza-se dos dilemas mais clichês da sociedade moderna, criando uma trama fraca apenas para mostrar seu bacanal de luxo.

 Uma das poucas coisas que se salvam neste filme são os personagens. Uma Dominatrix deprimida porque nunca conseguiu uma relação séria. Uma terapeuta sexual que nunca teve um orgasmo. O casal homo em crise. O voyeur psicopata e por aí vai. Trata-se de um prato cheio para desenvolver um belo roteiro. No entanto, a única coisa que eles fazem, é trepar.

 Por favor, não me entenda mal. Não é questão de moralismo. Longe disso, credo, saravá! Mas fica evidente que o importante aqui não é o cinema. Tipo, vamos inventar um historinha básica com atores bonitinhos e uma fotografia legal e mudérrna que já ta bom. E dá-lhe sexo! Vamos chocar, criar polêmica e algazarra! Devem ter pensado os produtores. PORRA, um filme que mostra um cara tentando chupar o próprio pau e não contente mostra o mesmo cara gozando na própria boca e ainda não satisfeito, o  mesmo cara esta filmando tudo para seu filme de amor que ele está preparando para o namorado que ele não ama mais!!??! É óoooobvio que uma cena bizarra destas vai gerar publicidade e burburinho, ainda mais quando gratuita. E toda essa bizarrice fez com que este filme tivesse sessões lotadas na última Mostra de São Paulo, que aliás, eu amo e já vai começar. Mas confesso que alguns dos piores filmes que conferi na minha vida, foram presentes da Mostra. Sempre tem alguma bomba, vamos ver as deste ano hehehe. Voltando ao assunto, mais da metade de suas cenas de sexo explícito são desnecessárias. Não acrescentam nada.

 Um filme desnessário que nunca teve grandes pretensões a não ser criar polêmica. E pior que nem isso eles conseguiram. Não odiei o filme não. Meu sentimento é pior: - O de total descaso. Que perda de tempo... rs.

 Roger T.

          

 

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]